Liga apresenta calendário de competições e clubes de Lafaiete sinalizam “boicote” a Taça Vertentes Metalúrgica

A Liga de Desportos de Conselheiro Lafaiete apresentou na noite da segunda-feira, 11/01, em sua sede o calendário de competições para o ano 2019. Representantes de Aimorė, Atletique, Botafogo, Flamengo, Flor da Serra, Ferroviário, Meridional e Mineiro participaram da reunião coordenada pelo presidente da Liga, Adjalma Rodrigues Ferreira.

Clubes se reuniram na sede da Liga.

O calendário prevê a realização do Torneio Frademi nas categorias Fraudinha, Dente de Leite e Mirim com início previsto para o dia 16 de março e a Taça Vertentes Metalúrgica no mesmo mês. Sem verba para realizar as competições, os clubes terão que pagar a taxa de arbitragem. A manifestar sobre a realização do Torneio Frademi, o presidente do Ferroviário, Valter Braga de Souza defendeu que os clubes utilizem atletas apenas da cidade. Valter Braga criticou o Atlétique que segundo ele, montou “seleção” buscando jogadores de outras cidades para disputar os campeonatos das categorias de base. “O clubes deveriam escrever apenas atletas que estudam na sua cidade”, defendeu Valter Braga.

O presidente da Liga, Adjalma Rodrigues Ferreira.

Renato Gonzaga, o “Pelé” que representou o Atletique rebateu as críticas e afirmou que o clube vai continuar recebendo atletas de outros municípios. Representando o Meridional, Mário Augusto Zebral, o “Tinenem”, defendeu a utilização de atletas de outras cidades. “Nós recebemos no Meridional, crianças de Queluzito, de Santana e não podemos dispensar esses atletas”, comentou o dirigente.

Em seguida, o presidente da Liga confirmou a realização da Taça Vertentes Metalúrgica que também deverá ter início em março. Atletique e Meridional defenderam a realização da competição no segundo semestre. Os dois clubes sugeriram a realização de uma competição apenas com clubes de Conselheiro Lafaiete, mas o presidente da Liga afirmou que a Taça Vertentes Metalúrgica está no calendário oficial de competições e descartou a possibilidade de mudança.

Adjalma Rodrigues disse ainda que a Liga precisa que a Taça Vertentes Metalúrgica seja realizada já que a competição gera renda para a entidade se manter no primeiro semestre sem depender de recursos do poder público. Segundo ela, pelo menos sete clubes de outras cidades já manifestaram interesse em disputar a Taça Vertentes Metalúrgica.

Alegando que a Taça Vertentes Metalúrgica está atrapalhando o futebol de Conselheiro Lafaiete, Atletique e Meridional se recusaram a participara da competição. Em seguida, Aimoré, Botafogo, Ferroviário e Flor da Serra também descartaram a possibilidade de participar da Taça Vertentes Metalúrgica. Segundo eles, os times das outras cidades montam “seleções” para disputar a competição e isso prejudica o futebol lafaietense.

Apenas o Mineiro confirmou a participação e o Flamengo ficou de dar a resposta posteriormente. Com o impasse, os clubes voltaram a defender a realização da Taça Lafaiete deixando de lado a Taça Vertentes Metalúrgica. Pressionado, o presidente da Liga aceitou realizar a competição apenas com times de Conselheiro Lafaiete paralela a Taça Vertentes Metalúrgica. Em seguida, o presidente do Atletique disse que o clube só participa da Taça Lafaiete se a Liga não realizar a Taça Vertentes Metalúrgica e com isso o número de times participantes seria de apenas cinco.

O cancelamento da Taça Vertentes Metalúrgica foi descartado por Adjalma Rodrigues. Uma nova reunião deverá ser marcada pelo presidente da Liga para acertar os detalhes quanto à confirmação dos participantes nas competições do primeiro semestre.

Verba

O presidente da Liga explicou que está prevista para setembro a liberação de uma verba no valor de R$ 120 mil que deverá ser encaminhada por meio de emenda parlamentar do deputado Glaycon Franco (PV). Adjalma Rodrigues afirmou que está pleiteando que o recurso também contemple os clubes com material esportivo, além de ser usado para custear as taxas de arbitragem das competições.