Situação se agrava e Hospital São Camilo precisa de R$ 200 mil para não fechar as portas

A situação do Hospital São Camilo em Conselheiro Lafaiete é considerada de estrema gravidade. Sem recursos para manter o funcionamento, o hospital corre sério risco de fechar caso não haja uma solução para o problema em até três meses.

Hospital São Camilo passa por graves problemas financeiros.

Na noite da segunda-feira, 03/06, a direção do hospital se reuniu com vereadores, profissionais de saúde e representantes da comunidade para expor o grave problema enfrentado pela unidade de saúde. Os números são preocupantes considerando a falta de perspectiva de apoio financeiro para tirar o hospital do “vermelho”.

Em média tem uma despesa mensal que gira entre R$ 180 mil a R$ 220 mil. Deste montante, cerca de R$ 60 mil é destinado à folha de pagamento e R$ 12 mil para o aluguel do espaço onde funciona o hospital.  Os números são assustadores considerando que 90% dos atendimentos do Hospital São Camilo é feito pelo SUS (Sistema Único de Saúde).

Ao todo 70% dos atendimentos são de pessoas idosas. Em média, o hospital que é filantrópico e privado tem receita cerca de R$ 45 mil reais. A presidente do Conselho do Hospital São Camilo, Filomena Cardoso afirmou que os próximos três meses serão críticos para o hospital para manter a folha de pagamento, encargos sociais, medicamentos, dentre outras despesas. “Não estou vendo solução. Se a gente não fizer uma coisa rápida, vai ser muito difícil. De imediato precisamos de pelo menos R$ 200 mil para respirar”, frisou Filomena.

Quanto ao apoio da administração municipal, Filomena disse que o prefeito Mário Marcus (DEM) e a nova secretária de Saúde, Rita de Kássia estão dispostos a ajudar, mas afirmou que nos últimos meses houve a diminuição no número de internações que são encaminhadas pelo município e com isso houve a queda da receita. Nos últimos meses também não houve repasse de verbas parlamentares que são encaminhadas por deputados o que ajudava no pagamento das despesas.

Filomena vai deixar o cargo de presidente do conselho do hospital e um edital foi aberto para a composição da nova diretoria administrativa. Presente a reunião, o vereador Divino Pereira (PSL) sugeriu que os vereadores doassem mensalmente R$ 1.000,00 para ajudar o hospital. Segundo ele, se todos os parlamentares realizassem a doação já seriam R$ 13 mil em dinheiro para o hospital.

O vereador Pedro Américo (PT) sugeriu que a sobra de recursos da Câmara Municipal que é devolvido à prefeitura no final do ano seja destinado ao Hospital São Camilo. “Os vereadores podem indicar a destinação deste recurso que ao invés de ir para a prefeitura vá para ajudar o hospital”, disse Pedrinho que também pontuou que tal iniciativa dependeria da aprovação do prefeito Mário Marcus (DEM).

Durante a reunião foi sugerida a busca de apoio de deputados para que enviem emendas parlamentares. Porém a assessora do deputado federal, Padre João (PT), Silene Gonçalves afirmou que não é tão simples buscar uma emenda parlamentar. Segundo ela, Padre João destinou várias emendas para o hospital, mas este ano as indicações de verbas acontecem em setembro e somente em março de 2020, há a possibilidade da vinda de recursos. “É impossível ter emenda parlamentar para daqui três meses”, frisou Silene.

A vereadora de Itaverava, Cléa Aparecida Rodrigues afirmou que o momento é de união de toda a região para salvar o Hospital São Camilo. “Quando eu soube da possibilidade do fechamento do Hospital São Camilo, fiquei muito triste. É preciso a união da população, empresários, autoridades para ajudar o hospital”, disse a vereadora que pretende solicitar emendas parlamentares junto a deputados.

Nilson Abel de Marselha, o “Sobrado” sugeriu a necessidade de buscar por uma pessoa que entenda de gestão hospitalar com o objetivo de montar uma estrutura administrativa eficiente para o Hospital São Camilo. Um novo encontro deverá ser marcado em breve para que a situação do hospital volte à pauta das discussões com a comunidade. Para que hospital consiga R$ 200 mil a curto prazo e não feche as portas de imediato foi sugerida a realização de campanhas, leilões, rifas e eventos, mas nada ficou acertado.

Também participaram da reunião, o vereador de Conselheiro Lafaiete, Chico Paulo (PT) e os vereadores de Itaverava, Cléa Aparecida Rodrigues (PTC), Elessandra Reis de Faria (PTC), Wagner de Carvalho Leão, o Táti (PSB) e Vinícius Resende Matos (PSL).