Com apoio de Glaycon, Assembleia de Minas quer endurecer punição pelo uso de cerol e linha chilena


Como cidadão e pai de família, o deputado estadual Glaycon Franco (PV) se mostra extremamente preocupado com o uso cada vez maior de materiais cortantes (como cerol e linha chilena) na brincadeira, até bem pouco tempo inofensiva, de empinar papagaio, tradição em Minas Gerais.

Deputado Glaycon Franco defende punição dura para quem usar cerol ou linha chilena.

A exemplo de todos que acompanharam o caso, largamente repercutido pela imprensa, o parlamentar assistiu perplexo ao drama do menino Gabriel Alves, de 15 anos, que teve o sonho de se tornar um grande jogador de futebol, que foi bruscamente interrompido ao ter uma das pernas amputada, depois de ser atingido por linha chilena quando voltava para casa depois de mais um treino. Para Glaycon Franco, a tragédia que se abateu sobre o promissor atleta adolescente de Betim (Região Metropolitana de Belo Horizonte) não pode, simplesmente, ser incorporada como um número a mais em uma alarmante estatística que contabiliza diversas outras mutilações e até mortes provocadas por este mesmo motivo.

Atento a isso, Glaycon Franco reforça a resposta imediata dada pela Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, que acaba de aprovar parecer favorável ao Projeto de Lei que endurece a punição à irresponsabilidade do uso de material cortante na preparação de linhas e cordões para pipas e papagaios. Conforme a proposta, fica proibido o uso de linhas cortantes em espaços públicos e áreas comuns de convivência. Os infratores, ou seus responsáveis legais, serão punidos com multas com valores reajustados.

Glaycon Franco reconhece que o endurecimento das sanções é necessário, mas sonha com o dia em que não seja preciso aplicar a lei para coibir condutas  perigosas como a utilização de cerol, linha chilena e, mais recentemente, linhas indonésia e de porcelana, cujo potencial de corte é 10 vezes maior do que as tradicionais. Glaycon acredita na continuação das saudáveis brincadeiras que encantam as crianças e até muitos adultos, com as pipas no céu, pacífica e agregadora opção de lazer e alegria. Como os bons empinadores de pipas sabem, “só sem cerol”.