Candidatos ao diaconato permanente são instituídos acólitos

No domingo, 06/10, os quinze candidatos ao diaconato permanente receberam o ministério do acolitato pelas mãos do arcebispo de Mariana, Dom Airton José dos Santos, na missa presidida às 10h no Santuário de Nossa Senhora do Carmo, em Mariana.

Anderson Lúcio da Costa (Paróquia Bom Pastor, Conselheiro Lafaiete), Armando Hammoud (Paróquia São Sebastião, Barbacena), Délio Duarte (Paróquia Nossa Senhora do Rosário de Fátima, Viçosa), Evanildo Cândido Machado (Paróquia Nossa Senhora da Piedade, Barbacena), Francisco Donizete Vidal (Paróquia Divino Espírito Santo, Barbacena), Hernando Rodrigues (Paróquia Sagrada Família, Ouro Branco), José Fagundes Felisberto (Paróquia Nossa Senhora da Conceição, Piranga), José Luciano de Castro Nazareth (Paróquia Santa Bárbara, Santa Bárbara do Tugúrio), José Roberto Pinto (Paróquia São Sebastião, Conselheiro Lafaiete), Lautair Lopes Fernandes (Paróquia São José, Pedra Bonita), Luiz Otávio Teixeira (Paróquia São Gonçalo, Amarantina), Marcelo Pereira da Silva (Paróquia São José Operário, Ouro Branco), Paulo Afonso de Assis (Paróquia Sant’Ana, Antônio Carlos), Ronei Luís da Silva Ferreira (Paróquia Santo Antônio, Ouro Branco) e Walmik Pimentel de Matos (Paróquia Nossa Senhora da Penha, Barbacena) são os candidatos que se preparam para receber o sacramento da ordem, em grau diaconal, desde agosto de 2015.

Dirigindo-se aos candidatos, Dom Airton ressaltou que eles devem vivenciar o ministério que receberam a partir do serviço aos irmãos e irmãs, que vai além da liturgia “A liturgia é o sinal grande, mas no dia a dia da vida, os pequenos sinais devem acontecer também. Na família, no trabalho, no relacionamento com as pessoas. Ninguém é ministro por si mesmo”, disse.

Lautair Lopes Fernandes, da Paróquia São José, de Pedra Bonita, Região Pastoral Mariana Leste, expressa a alegria de dar mais um passo rumo ao diaconato. “A gente vai percebendo o quanto Deus tem trabalhado nas nossas vidas. Que Deus nos abençoe para que possamos exercer bem o serviço, a diaconia, estar a serviço do povo de Deus, da Igreja, fazendo com que o Evangelho seja vivido e praticado nas nossas vidas”, diz.

Armando Hammoud, da Paróquia São Sebastião, de Barbacena, Região Pastoral Mariana Sul, lembra que, com a missão de acólito, os candidatos poderão testemunhar o Cristo não só pelo testemunho de vida, mas levando Jesus a outras pessoas. “É uma experiência fantástica, é um mistério realmente de Deus. A gente vê como que Deus é perfeito: escolher pessoas pra poder ajudar a anunciar o reino”.

Diaconato

A escolha dos candidatos ao diaconato foi feita no primeiro semestre de 2015, quando as paróquias, organizadas a partir dos conselhos, apresentaram os nomes. “Naquele primeiro momento eram 33 candidatos. Começamos o processo de discernimento com as aulas, as atividades do propedêutico, depois os 4 anos de Teologia que serão encerrados no mês de dezembro”, explica o Diretor da Escola Diaconal São Lourenço, padre Valter Magno de Carvalho. A ordenação ainda não tem data, mas deve ocorrer no ano que vem.

“O primeiro serviço do diácono é a caridade, a prática do amor”, explica o padre, ressaltando que este chamado foi feito na Igreja primitiva, em que os diáconos cuidavam das viúvas e dos órfãos. Em seguida, vem o anúncio da palavra, “não só com a voz, mas com o testemunho da sua vida” e, ainda, o serviço ao altar. “Ele colabora nas celebrações litúrgicas, especialmente na santa missa, quando prepara o altar, quando distribui a Eucaristia, e também nas celebrações do sacramento do batismo e matrimônio”.

Fonte: Departamento Arquidiocesano de Comunicação

Clique aqui e curta a página do Site Lafaiete Agora no Facebook