Com intermediação de Zelinho, caminhoneiros apresentam reivindicações a Gerdau e aguardam respostas

Uma comissão representando a Associação dos Caminhoneiros do Alto Paraopeba apresentou as reivindicações da categoria ao gerente de Sustentabilidade da Gerdau, Francisco Couto, em encontro intermediado pelo prefeito de Congonhas, Zelinho e os vereadores Igor Souza Costa (presidente da Câmara Municipal), Galileu, Feliciano, Eduardo Matosinhos, Mércio e Lucas Bob, na manhã desta terça-feira, 8, na Prefeitura Municipal. Aproximadamente 600 caminhoneiros se encontram parados, aguardando a resposta da empresa do ramo da siderurgia e mineração.

A principal reivindicação da Associação dos Caminhoneiros do Alto Paraopeba é o retorno dos trabalhadores autônomos dos quais foi retirado o tag, que garante o direito a cada um de seguir prestando serviço à empresa. Mas há outros pontos da pauta, como explica Cláudio Oliveira, presidente a entidade representativa dos caminhoneiros.

“Queremos também que os autônimos recebam tratamento igualitário em relação aos frotistas da Tora, BVC, De Paula, entre outras transportadoras. Atualmente as empresas chegam à fila e passam na frente dos autônomos, isto é desumano. Há também o pedido da Associação de questões básicas como a instalação de banheiro químico, bebedouro, porque eles ficam na fila várias horas, e não têm onde fazerem suas necessidades. Isso acontece na Gerdau, Vale, Ferro+, VSB entre outras”, enumera o presidente da Associação dos Caminhoneiros do Alto Paraopeba, Cláudio Oliveira.

Este avaliou de forma positiva o encontro. “Agora estamos levando as informações para os cerca de 600 caminhoneiros que se encontram parados, sendo 400 de Congonhas, e vamos definir em assembleia se eles voltam à operação normal ou se seguem parados, aguardando a resposta da Gerdau”, informou.

O representante da Gerdau vai levar estas reivindicações para a empresa e prometeu apresentar as respostas na próxima reunião, agendada para a quinta-feira, às 14h.

Posicionamento da Gerdau  

Em relação à manifestação recente de motoristas em Congonhas, a Gerdau esclarece que houve redução do volume de minério de ferro transportado no último trimestre do ano, em comparação com o trimestre anterior. Tal redução foi motivada pela menor produção planejada para este período, como reflexo do cenário de mercado e ajustes internos. A Gerdau reduziu os volumes de forma linear entre as várias transportadoras com que opera, sem tomar a atitude de desligar nenhuma empresa parceira, seus colaboradores e motoristas. Também não houve diferenciação de redução de volume entre a frota cativa, que a empresa opera há 04 anos, e as demais transportadoras. Todas as transportadoras que operam com a Gerdau empregam mão de obra da região e a empresa sempre avalia um mix de contratação baseado na sua estratégia de logística, na competitividade e desempenho de segurança das transportadoras.

Matéria atualizada às 11h do dia 09/10.

Clique aqui e curta a página do Site Lafaiete Agora no Facebook