Ponto de Cultura AMAR conquista prêmio “Culturas Populares”

Neste ano, a AMAR -Associação dos Moradores e Amigos da Região completou 20 anos de atuação comunitária. Fundada em 1999 e agregando os bairros Albinópolis e Angélica, a entidade tem um amplo histórico de trabalho envolvendo arte, cultura, educação e cidadania. Tudo isso lhe rendeu o título de Ponto de Cultura, concedido em 2011 pela Secretaria Estadual de Cultura e o Ministério da Cultura.

O  ministério lançou, em 2007, o Prêmio Culturas Populares, a fim de valorizar o trabalho de mestres e entidades que trabalham com a cultura do povo. Cada edição homenageia um mestre de destaque nacional. O deste ano é o músico gaúcho Teixeirinha. A sétima edição do prêmio, contou com 1.326 inscrições de mestres e 306 de Pontos de Cultura de todo o Brasil. Divididos entre as cinco regiões do país, os que receberam melhor pontuação na fase de classificação foram considerados vencedores e serão premiados, num total de 150 mestres e 100 Pontos de Cultura. Minas Gerais conquistou quase a metade dos prêmios da região sudeste: 13 mestres e 10 Pontos de Cultura. Um destes é de Conselheiro Lafaiete, o Ponto de Cultura AMAR.

Hélcio Queiroz, sócio fundador e atual presidente da associação AMAR, considera que as cópias das notícias na imprensa regional e o livro “Compartilhando o Saber no Ponto de Cultura AMAR”, anexados aos documentos de inscrição no prêmio, foram essenciais para comprovar o trabalho artístico e cultural de base popular desenvolvido pela AMAR. Destacam-se a sua biblioteca comunitária, os cursos livres de artesanato e arte, dentre os quais dois – mosaico e grafite – fazem parte do Projeto Gentileza, que há 12 anos cria painéis artísticos nas ruas da região.

Apesar de todo o trabalho voluntário que a AMAR realiza, promovendo a leitura, capacitando artesãos e artistas, presenteando a cidade com arte pública, trazendo recursos para o município e atraindo redes de televisão para reportagens positivas sobre Conselheiro Lafaiete, são muito raras as contrapartidas do poder público local. Até hoje a entidade não conta com uma sede própria, apesar das inúmeras reivindicações e promessas, sobretudo no período eleitoral.

No final de 2018, através de um termo de parceria com a Secretaria Municipal de Cultura, a AMAR recebeu recursos que lhe permitiram, neste ano, pagar o aluguel do imóvel onde funciona sua sede. Com essa verba chegando ao fim, a diretoria da AMAR já estava preocupada e contando como certo o fechamento de suas portas. A conquista do Prêmio Culturas Populares chega em boa hora e possibilitará o pagamento de mais um ano de aluguel. Enquanto isto, espera-se, com máxima urgência, que o município reconheça a importância do Ponto de Cultura AMAR e finalmente, disponibilize um espaço permanente para sua sede. Só assim será possível preservar este importante patrimônio cultural material e imaterial de Conselheiro Lafaiete.

SERVIÇO:

  • Livro ‘Compartilhando o Saber no Ponto de Cultura AMAR’, papel couché, 204 págs, 1.200 fotos coloridas: R$ 28,00
  • Facebook e Instagram: páginas ‘Ponto de Cultura AMAR’ e ‘Projeto Gentileza Lafaiete’

Clique aqui e curta a página do Site Lafaiete Agora no Facebook