Planejamento financeiro para MEI’s e autônomos

Importante mola propulsora do país, os Microempreendedores Individuais e Autônomos representam boa parte do desenvolvimento socioeconômico de nosso país, contribuindo ativamentepara o desenvolvimento econômico. Apesar dessa importância, o que temos visto em momento de pandemia é uma falta de amparo quando analisamos a ótica dos negócios e não das pessoas físicas. Logicamente, a reposição salarial por meio do benefício emergencial de R$600,00, é de suma importância, mas em termos de resultados financeiros pouco representa para as atividades econômicas dessa parcela da sociedade.

Neste sentido, é importante que, muito antes de seu perfil de negócio, você tenha um total controle sobre as finanças do mesmo (independente se você é autônomo, informal ou microempreendedor individual). O primeiro passo é aproveitar uma diminuição de ritmo de trabalho presente em todo o país e listar todas as contas inerentes ao negócio.Aproveite esse tempo para separar as finanças pessoais do negócio. MEIs e autônomos normalmente vivem as dores das contas juntas, ou seja, pagam as contas dos negócios e da pessoa física em uma única conta bancária.

Por mais difícil que sua situação possa estar nesse momento, saiba que há oportunidades em todas elas. Se você está devedor, ou até com alguma restrição no CPF ou CNPJ, é o melhor momento para procurar instituições financeiras e tentar negociar suas dívidas para voltar a operar no azul. Se você não tinha um planejamento financeiro antes da pandemia, saiba que nunca é tarde para iniciar um, e registrar toda a sua vida financeira, e como sugestão, registre 2019 e 2020. Se você, como uma pequena parcela da sociedade tinha uma reserva, se preparou minimamente para um momento como esse, planeje seu capital, há fontes seguras e interessantes de investimento no momento, ou aproveite condições de compras e investimentos no seu negócio.

Mas nem tudo é lamentação e há ações para remediar a situação. Abaixo, algunsaprendizados que podem ser valiosas para planejamento financeiro e preparação pós-crise:

  1. Instituição financeira não deve ser encarada como vilã: Todas as empresas no mundo dependem, em alguma medida de instituições financeiras. Não só para captação de empréstimos, mas para executar sua operação, é necessário que realizem a administração e gestão financeira do negócio. Se você, empresário, já está imerso nessa realidade, aproveite-a da melhor forma possível. A manutenção de um bom relacionamento com a instituição financeira que a organização trabalha, tem sido determinante para passar momentos turbulentos da economia.
  1. Depender de um ou poucos canais de venda pode determinar sua mortalidade nos negócios: Antes da pandemia, diversos profissionais, empresários, consultores, falavam da importância de desenvolvimento de novos canais de vendas, sobretudo o canal digital. Com a pandemia, evidenciou-se a fragilidade de vários negócios que não se abriram antes para essa modalidade e atualmente correm para adentrar nesse mercado.Timing é essencial para decisões de mercado.
  1. Melhoria contínua não é um termo apenas de livros de gestão da qualidade: Não se engane, todas as empresas sentiram em alguma medida a crise econômica em decorrência do COVID-19. Talvez as que sentiram menos, estivessem atentas às melhorias constantes em todos os aspectos de sua gestão, com olhar de transformação, mudança, acompanhamento e natural evolução. A evolução é inevitável, e pode ser boa ou ruim. A pandemia evolui de forma negativa no campo da saúde humana, até atingir outro nível de evolução de diminuição de casos e pessoas curadas, por exemplo. Nas organizações a evolução funciona exatamente da mesma forma: o foco central é a adaptação à evolução, e pensar em melhoria contínua é cada vez estar mais preparado para quando esse momento chegar.

Para iniciar a o planejamento do seu negócio, portanto, inicie refletindo sobre cada item dentro de sua empresa com as seguintes perguntas:

  • Seu planejamento financeiro, ainda que contingencial, está funcionando? Se não, reavalie, peça ajuda. Em qualquer situação (com caixa, sem caixa, devedor ou não) você pode aproveitar janelas de oportunidade para seu negócio.
  • Sua estratégia está levando em conta a mudança de comportamento do consumidor (algo que já é realidade)?
  • Você está desenvolvendo novos canais de venda para seu negócio?
  • Como você tem se preparado para a volta do mercado, o já falado “pós-crise”?

E lembre-se, ainda que tudo esteja confuso no panorama mercadológico, financeiro, econômico global, há ações que talvez jamais poderiam ser feitas se não fosse essa “parada de emergência”, sobretudo no mundo dos negócios, então, aproveite-as!

Por Por Vinícius Souza

Sobre o autor

Vinícius Souza é administrador, consultor da VOS Consultoria e professor de Finanças, Estratégia, Pessoas e Processosna FGV (Fundação Getúlio Vargas), Sebrae (Serviço Brasileiro de apoio às micro e pequenas empresas) e Fiemg (Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais).

Vinícius Souza também é consultor de empresas como Unimed, Hermes Pardini, Vale, Fundação Vale, Fiat Vivo, Sebrae e Fiemg, além de contribuir com conteúdo nas páginas da HSM Educação Executiva e no blog Negócio Inteligente.

Profissional com ampla experiência em business plan, planejamento estratégico, gestão de processos, gestão de expatriados e gestão financeira.

Clique aqui e curta a página do Site Lafaiete Agora no Facebook