“A nossa população não aguenta mais esse transporte coletivo do jeito que está”, afirma Mário Marcus

Quem precisou de transporte coletivo na manhã desta terça-feira, 1º de dezembro teve que buscar outra alternativa. Os funcionários da Viação Presidente entraram em greve após a empresa não cumprir o pagamento da primeira parcela do 13º salário prevista para a segunda-feira, 30/11.

No dia 26/11, quando houve uma paralisação no transporte coletivo, o SINTTROCOL (Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário de Conselheiro Lafaiete) aprovou o estado de greve em razão dos constantes atrasos e não pagamento de salários, auxílio alimentação e plano de saúde. O sindicato notificou a empresa e a Prefeitura comunicando que a greve aconteceria caso a Viação Presidente não cumprisse os prazos dos pagamentos.

O prefeito Mário Marcus (DEM) está na garagem da empresa e sinalizou ter esgotado a paciência com relação ao precário serviço de transporte coletivo da cidade. Em entrevista à Rádio Carijós, o prefeito afirmou que o município está buscando os meios jurídicos para garantir pelo menos uma parte da frota circulando como está previsto no acordo de greve que é de 30%.

“O município está se mobilizando para tomar todas as providências cabíveis no sentido de estar fazendo uma auditoria na empresa. Já estamos instaurando um processo administrativo. Estamos nomeando uma comissão para apurar todos os cumprimentos da concessão, o estado da frota de ônibus para que a população de Lafaiete que nos confiou mais um mandato com a certeza de ter uma resposta em relação a esta questão do transporte coletivo que ela tenha essa resposta favorável. A nossa população não aguenta mais esse transporte coletivo do jeito que está”, afirmou o prefeito.

Mário Marcus afirmou que o município poderá caminhar para uma nova licitação caso a empresa continue não cumprindo os compromissos. O prefeito deixou claro que a Prefeitura não tem nenhuma dívida com a Viação Presidente referente a compra de passes.