Pacientes finalizam tratamento da Covid em casa para liberar leitos em Congonhas

Em março deste ano, a Prefeitura de Congonhas, por meio do setor de Coordenação de Urgência e Emergência da Secretaria Municipal de Saúde, lançou o programa Alta Responsável Covid-19. O programa tem o objetivo de desospitalizar pacientes internados com Covid ou suspeita para liberar leitos de enfermaria nos hospitais.

Os pacientes desospitalizados com essa doença específica passam a ser acompanhados pela equipe em seus domicílios até a alta definitiva. Em Congonhas, uma equipe de Atenção Primária à Saúde, formada por médica, enfermeira, fisioterapeuta e duas técnicas de enfermagem, foi destacada para fazer o trabalho de acompanhamento dos pacientes em seu domicílio. São profissionais da linha de frente no combate a Covid-19.

Para que o paciente possa ser admitido no programa é necessário apresentar melhora progressiva em seu quadro clínico. A partir do momento que se identifica essa melhora, os plantonistas dos hospitais fazem contato com a equipe e discutem os casos na busca de viabilizar a transferência para o domicílio. Além disso, a família deve aceitar que o paciente tenha seu tratamento continuado em casa e também ter condições de recebê-lo em seu ambiente domiciliar, já que o procedimento adotado não é compulsório.

Após analisados os dados do paciente, a equipe providencia transporte em ambulância e todos os cuidados necessários, já que pessoas em tratamento têm demandas específicas. Após a desospitalização e transporte para domicílio, a equipe passa a visitar os pacientes diariamente para acompanhar a evolução positiva do quadro de saúde do mesmo. A depender de cada indivíduo, a equipe faz mais visitas ao longo do dia. Além de monitorar o paciente, ostécnicos realizam as medicações necessárias, fazem sessões de fisioterapia, motora e respiratória, e também colhem material para exames laboratoriais, quando necessário. A alta médica ocorre quando o paciente se encontra plenamente recuperado.

De acordo com a chefe da equipe, a médica Janaína Jubé Uhlein, o paciente internado em domicílio apresenta melhora consideravelmente mais rápida em casa, pois o conforto e a rotina doméstica são aliados narecuperação. “Este programa ressalta a humanização no tratamento contra a Covid-19”, enfatiza. O Hospital Bom Jesus de Congonhas possui 11 leitos de enfermaria para tratamento de infectados com o novo coronavírus.

A equipe do programa Alta Responsável Covid-19 já atendeu a 36 pacientes desde a implantação, sendo que, no momento mais crítico da pandemia este ano na cidade foram atendidas sete pessoas simultaneamente. Alguns pacientes de Congonhas internados em Ouro Branco e Barbacena também foram conduzidos de volta para a cidade e acompanhados pelo programa. Ainda segundo dados da equipe, todos os pacientes tratados evoluíram para alta médica não havendo reincidência hospitalar até o momento.

O Alta Responsável é premissa do Serviço Único de Saúde – SUS, mas que não é obrigatório e nem há cobranças do Ministério da Saúde para tal. Desta forma, poucos municípios são pioneiros com esta ação no combate a Covid-19. Algumas cidades idealizaram projetos neste sentido. Em Congonhas foi criado um programa para enquanto durar a pandemia do novo coronavírus, já que a estrutura de Saúde no Município permite inovações como esta.