Captação de água vai beneficiar 744 famílias de Ouro Branco

Em ação do Governo do Estado para ampliar a oferta de água potável em Minas, Ouro Branco, na região Central, é o primeiro município a receber quatro dos 100 poços tubulares profundos previstos em edital da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad). O trabalho de perfuração começou na comunidade de Olaria nessa quinta-feira (6/5), onde 305 famílias serão beneficiadas.

Ao todo, 744 famílias serão atendidas nas quatro localidades do município. Haverá perfurações em Campo Grande, onde 110 famílias residem, João Gote (232 famílias) e Água Limpa (97 famílias). A abertura dos poços em Ouro Branco reforçará o acesso de comunidades rurais à água potável de qualidade, fortalecendo a política de abastecimento de água no estado. A ação é realizada em parceria com a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa), por meio de termo de cooperação técnica, que prevê a perfuração de poços em 44 municípios.

A secretária de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Marília Melo, explica que o programa segue o edital de seleção de municípios para perfuração de poços tubulares profundos em comunidades carentes de água potável, lançado em 2020. “Entendemos que a perfuração de poços deve ser feita de forma planejada, a fim de atender a uma finalidade, que nesse caso é a deficiência de abastecimento público humano em meios rurais. A forma com que se iniciou o programa, por meio de edital, com critérios técnicos e avaliação de necessidade real estabelecida, só traz credibilidade”, frisa.

Abastecimento  

Marília Melo ressalta, também, a importância desse abastecimento e o saneamento no meio rural. “Quando avaliamos os números de abastecimento público em Minas e no Brasil, as médias no meio urbano são muito boas, mas na área rural ainda são muito deficitárias. No estado, isso demanda caminhões pipa para levar água a essas pessoas. Quando perfuramos um poço para prover água para uma comunidade, geramos a possibilidade de utilização da água para usos múltiplos”. Ela destaca, ainda, a segurança no abastecimento como motivo de repercussão na saúde pública, qualidade de vida e dignidade das pessoas.

O subsecretário de Gestão Ambiental e Saneamento da Semad, Rodrigo Franco, observa que esse é o início de um trabalho que atenderá 44 municípios em 100 localidades de Minas Gerais nos próximos 18 meses. “A partir de diretrizes traçadas pelo governador Romeu Zema e pela secretária Marília Melo, estamos fortalecendo a política de abastecimento de água no estado”, observa.

Segundo o prefeito Hélio Marcio Campos, a ação vai garantir o abastecimento de grande parte da área rural do município.

Saneamento

Na mesma linha do edital para perfuração de poços lançado em 2020, o Estado vem desenvolvendo uma série de ações para universalização do saneamento em Minas Gerais que convergem para a garantia de todos à água potável, ao saneamento básico e à disposição adequada de resíduos sólidos urbanos.

Uma dessas iniciativas é  o Programa Água Doce (PAD), viabilizado por convênio firmado entre os governos federal e estadual para a implementação de tecnologias alternativas para atender, prioritariamente, as populações de baixa renda do semiárido brasileiro. 

Nessas regiões, cerca de 70% dos poços apresentam águas salobras ou salinas, e a água subterrânea, frequentemente, é a única fonte disponível para as comunidades. “Muitas vezes, por questões geológicas, por excesso de calcário ou mesmo por salinidade, as pessoas não podem utilizar os poços já existentes. O PAD tem o objetivo de tornar a água utilizável, potável para as pessoas”, detalha a secretária Marília Melo.

Unidades Regionais

A criação das unidades regionais de saneamento básico em Minas Gerais é outra diretriz para universalização do saneamento no estado. Em consulta pública lançada nesta semana (5/5), o Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Minas Gerais (Semad), abriu a manifestação de interessados em opinar sobre as normas apresentadas em Projeto de Lei (PL) a ser encaminhado para a Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG).

Saiba mais sobre o tema clicando aqui.

Fonte: Agência Minas